quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Só preciso

Bom dia. Gente, meu blog tá uma merda mesmo???
Me fala aí o que seria bom para melhorar.
Não querem mais poesia?? Querem algum assunto novo??
O problema é que minguém comenta no blog e aí ele fica morto. Vamos descer a lenha no Gerinho da Terra no blog, que se não for muito politicamente incorreto eu publico. O espaço é aberto à críticas ao extremo.
Enquanto não reclamarem, mando as poesias, mas já estou pensando em começar a escrever crônicas ou algo parecido.
Ah! Ajudem a divulgar o blog caraio. Indique ele a mais alguns loucos.


SÓ PRECISO

Só preciso de uma palmeira
E me lembro da torre Eiffel
Já me basta sentir o perfume
E já penso no quanto é linda a flor
É suficiente para lembrar da carência da criança
Quando percebo um olhar solitário
Olhando o sol de manhã
Já sinto a alegria que será o dia.

Mas você?!?!
Você esteve aqui!
Você está lá!
Onde você estará amanhã?
Onde você estará amanhã?

A gente só lembra daquilo que importa
E o que importa está dentro do peito
Na caixinha cardíaca, rude e apaixonada
Que me fala como cheirar, ver, ouvir, degustar e tatear.

Preciso só roubar uma rosa
Para lembrar que a agulha fere
Pegando um pêssego na feira
Me flagro pensando na pele nua
Toda vez que tomo água
Acredito que a vida vai ficar menos árida
Meu lado vampiro se satisfaz
Sempre que como carne.

Mas você?!?!
Você esteve aqui!
Você está lá!
Onde você estará amanhã?
Onde você estará amanhã

Quando ouço as ondas do mar
Lembro das cantigas e eu a balançar
Ao escutar o lamento de um velho japonês
Me dói no peito os choros das crianças de Nagazaki.

Mas você?!?!
Você esteve aqui!
Você está lá!
Onde você estará amanhã?
Onde você estará amanhã

Mas você está em tudo
Que ouço, bebo, toco, enxergo e cheiro.
Se vejo alguém nada a ver
Vejo que ela nada tem a ver com você.
Quando cheiro a rosa me lembro
Do seu cheiro de bebê.
Sempre que protejo alguém
Eu vejo você, criança carente.
Me basta o calor do copo de café
Sinto tua boca quente na minha.
Olhando a criança abandonada na rua
Me vejo no dia em que terminamos.
Para lembrar de você nua
Não preciso mais do que o tirar de uma malha.
Ao balançar o copo cheio
Lembro de você brincando no mar.
O teu sabor
Ah! Esse ainda não saiu da minha boca!

Você está em tudo.
Mas você?!?!
Onde você estará?

Gerinho da Terra
Caraguatatuba – 25/05/06.

5 comentários:

Daniel disse...

ih Gero, relaxa que blog é assim mesmo. você acha que escreveu algo genial, que mudará o destino da humanidade, e ninguém fala nada. daí escreve uma bobagem e gera uma polêmica que dura meses... o melhor mesmo é acompanhar o número de visitantes da página, daí você vai ter uma idéia se está sendo lido (ou se não está).

rick galdino disse...

Bem vindo à blogosfera Rogério!

Não se preocupe que com o tempo esse "filhote" cresce.

abração

Fatima Angelica disse...

Grande Gero...
A sua iniciativa é muito legal, acredito que poderia postar não só poesias, mas também noticias do turismo.. tem muitos blogs interessantes sobre o assunto,
Fico feliz em ter uma amigo sensivel, querido e poeticooo!
Grande bjoooo
Angel

Papoila-das-praias disse...

oi, foi vc que comentou no Re-Papoilando?

Gostei do seu blog. Está de Parabéns!

icaro disse...

Ai Gero é isso ai cara muito boa sua iniciativa... muito sucesso para vc meu caro... um abração